Navigate / search

A Cobertura Feminina: Uma Prática Cristã Esquecida para os Tempos Modernos

por: Jeremy Gardiner | Traduzido por: Filipe Macedo Pereira

 

Uma Introdução a uma Doutrina Negligenciada

  1. A História da Cobertura Feminina Cristã

O respaldo bíblico para a cobertura feminina moderna

  1. Tradição Apostólica: Sustentando o que nos foi entregue
  2. Ordem de Criação: Masculinidade e Feminilidade simbolizadas
  3. Os Anjos: Considerando o Anfitrião Celestial
  4. Natureza: O que o nosso cabelo nos ensina sobre a cobertura da cabeça [Coming April 29/17]
  5. Prática da Igreja: A visão exclusiva das primeiras igrejas
  6. Prescritivo: Por que esta prática não é relativa à liberdade cristã?

Resumo: Um caso bíblico para a cobertura feminina moderna

Objeções contra a cobertura feminina

  1. Cabelo longo: Nossa cobertura natural como a cobertura única
  2. Cultura: Meretrizes, casamento romano e uma situação localizada
  3. Legalismo: A importância a coisas pequenas e a distração das mais importantes

Aplicação prática

  1. Que estilo de cobertura feminina deve ser usado?
  2. Onde isso deve ser praticado: Encontros da Igreja ou em todos os locais?
  3. As meninas e as mulheres solteiras devem usar cobertura na cabeça também?

Pensamentos finais

  1. Você simbolizará seu papel (mesmo que ninguém mais faça isso?)

Apêndices

Apêndice 1: The Head Covering Movement (O Movimento da Cobertura Feminina)

Apêndice 2: O Evangelho para cristãos a favor da cobertura feminina

Apêndice 3: Preciso fazer parte de uma igreja local?

Recomendações

Jeremy Gardiner desenvolveu um argumento ponderado e útil retirado da Escritura e da história da igreja para que as mulheres cubram suas cabeças no culto. Este livro merece a devida atenção de todos os que desejam obedecer à Palavra de Deus em tudo o que ela ensina.
-Joel R. Beeke, presidente do Puritan Reformed Theological Seminary.

O livro de Jeremy Gardiner aborda gentil, respeitosa e precisamente todas as perguntas que tive enquanto lidava com a passagem de 1 Coríntios 11 sobre a cobertura feminina. Aprecio sua exegese cuidadosa e completa da passagem e sua vontade de enfrentar todas as objeções atuais e visões alternativas sobre o assunto. Ele permanece fiel à sã doutrina e é sensato em sua abordagem do que é – para muitos de nós – um tópico desconhecido. Gostaria de ter tido este recurso décadas atrás e encorajaria qualquer crente a lê-lo e, em oração, considerar esta passagem para si mesmo.
-April Cassidy, autora de The Peaceful Wife: Living in Submission to Christ as Lord.

O livro que está em suas mãos é mais importante do que você imagina. Eu cheguei ao entendimento que esta “pequena” questão da cobertura feminina cristã não é nada sem importância. Não é só a habilidade da Igreja para fazer fielmente a exegese do Texto Sagrado que está em jogo, mas, ao olhar para a cultura, vemos também a perda sistemática do que o símbolo representa. Jeremy fez um grande serviço para o Corpo de Cristo ao ajudar a ressuscitar os mandamentos do Senhor para Seu próprio culto. Que o Senhor nos perdoe por pensar que sabemos mais que Ele.
-Carlton C. McLeod, pastor da igreja Calvary Revival Chesapeake e fundador do D6 Reformation.

Jeremy Gardiner fez um bom serviço para a igreja chamando-nos de volta à obediência à Palavra de Deus que nossos pais e avós rejeitaram um século atrás. Gardiner dá uma explicação clara da ordenança bíblica, passando a tratar com precisão e bondade as muitas objeções levantadas pelos modernos.
-Tim Bayly, Ex-diretor executivo de The Council on Biblical Manhood & Womanhood e autor de Daddy Tried.

Eu comecei a usar uma cobertura na cabeça (em uma igreja que não faz uso dela) há alguns anos. Senti-me desafiada a colocar a Palavra de Deus acima da palavra do homem em toda situação, e resistir a relativizar seus ensinamentos de acordo com minha própria cultura – até mesmo a minha cultura cristã. Admiro a coragem de Jeremy Gardiner em defender todo o conselho de Deus.
-Andrée Seu Peterson, escritora da revista WORLD.

Send this to friend