fbpx

Navigate / search

Capítulo 4: Os Anjos: Considerando o Anfitrião Celestial

“A Escritura ensina que quando os cristãos se reúnem, e quando se reúnem em oração, então os anjos de Deus estão presentes e as mulheres devem cobrir-se quando participam na oração pública por causa da presença dos anjos. É uma coisa tremenda e notável” 1) Martyn Lloyd Jones, Great Doctrines of the Bible, (Carol Stream, Illinois: Crossway Books, 2003), 110.

Dr. Martyn Lloyd-Jones, ex-ministro da Capela de Westminster em Londres

 

Quando se trata de versículos que os cristãos admitem que não entendem, 1 Coríntios 11.10 é o versículo que está no topo da maioria de nossas listas. Aqui está o que essa passagem diz:

“Portanto, deve a mulher, por causa dos anjos, trazer véu na cabeça, como sinal de autoridade.”

O apóstolo Paulo nos disse que as mulheres devem cobrir suas cabeças por causa dos anjos. Portanto, não importa o que este versículo significa em sua plenitude, o que sabemos é que temos uma de suas razões para praticar este símbolo.

Este ponto deve ser levado em alta consideração. Nós não procuramos entender o que este versículo significa para que ele se torne evidência para a cobertura da cabeça. Pelo contrário, por ser uma razão, buscamos, portanto, compreendê-la.

A dificuldade para nós é que Paulo diz isso de passagem, sem explicar o que ele quis dizer. Uma razão provável para isso é que a igreja em Corinto compreendeu o que Paulo queria dizer, portanto, uma explicação seria desnecessária. Em sua carta aos tessalonicenses, ele disse que havia explicado detalhes sobre a Segunda Vinda de Cristo a eles quando estava com eles (2 Tessalonicenses 2.5). Isso também pode ser uma dessas doutrinas articuladas enquanto estavam em sua presença.

Uma vez que este é um versículo muito curto e vago, não há nenhuma maneira para podermos saber, com absoluta certeza, o que isso significa. No entanto, não ficamos totalmente no escuro. Há uma indicação no grego que nos ajuda a identificar a quais anjos Paulo estava se referindo. Há também outros textos na Escritura sobre esses seres que acredito que possam lançar uma luz sobre esta passagem. Comecemos por identificar se Paulo estava falando sobre anjos bons ou maus.

Anjos: Bons ou Maus?

Na gramática, o artigo definido é usado para modificar um substantivo. É preciso uma pessoa, lugar ou coisa para indicar que você não está se referindo ao substantivo em geral, mas sim que você tem uma referência específica em mente. Este artigo definitivo mostra-se, em português, como a palavra “os”. Assim, como um exemplo, se eu dissesse “ela ama chocolate,” é um uso muito amplo e poderia se referir todo o chocolate. Entretanto, adicionando o artigo definido, transformamos a frase em “ela ama o chocolate.” Isto indica ao leitor que o chocolate ao qual se refere é um tipo específico.

Na língua grega também há o artigo definido 2) Em português há artigos definitivos e indefinidos. Em grego, tal distinção não existe; por isso é realmente apenas um “artigo”.  e em 1 Coríntios 11.10 é usado quando Paulo diz “por causa dos anjos”. Isso indica que Paulo não está falando de todos os anjos, mas tem anjos específicos em mente.

De acordo com o Dr. David E. Garland, “Paulo nunca usa a palavra ‘anjos’ com um artigo definido para se referir a anjos maus” 3) David E. Garland, First Corinthians  (Baker Academic, 2003), 527. . Da mesma forma, Robertson e Plummer afirmam que “anjos maus não podem ser inseridos no texto. O artigo é contra eles: ἄγγελος, que sempre significa anjos bons.” 4) Archibald T. Robertson and Alfred Plummer, A Critical and Exegetical Commentary on the First Epistle of St. Paul to the Corinthians (T&T Clark, 1911), 233. (Quando eles mencionam “ἄγγελος sempre significa anjos bons”, isto deve ser entendido como quando a palavra é usada com o artigo grego nas cartas de Paulo.) . Portanto, quando Paulo diz que mulheres deveriam usar um símbolo de autoridade sobre suas cabeças “por causa dos anjos”, é provável que ele tivesse os anjos santos em mente.

Para o Seu benefício

O propósito da cobertura da cabeça é fornecer um símbolo visual da ordem criada por Deus à igreja reunida. Se os anjos são uma razão pela qual obedecemos a este mandamento, pressupõe-se que eles devem estar nos observando enquanto adoramos a Deus. Uma compreensão do por que praticamos a cobertura da cabeça é para que possamos justamente simbolizar a ordem criacional para todos os presentes, tanto os visíveis como os invisíveis.

Paulo disse: “para que, pela igreja, a multiforme sabedoria de Deus se torne conhecida, agora, dos principados e potestades nos lugares celestiais” (Efésios 3.10).

Esses principados e potestades são os anjos de Deus (Colossenses 1.16; 1 Pedro 3.22). Vemos nessa passagem o que o nosso Senhor está fazendo através da igreja e isso demonstra como Ele é incrivelmente sábio. Pedro descreve que os anjos “anelam perscrutar” o que Deus está fazendo (1 Pedro 1.12). Eles são cativados pelo que Deus está fazendo e querem ver mais dEle. Creio que este é um desejo que Deus teria prazer em cumprir. Permitir que os anjos nos observem adorar a Ele poderia ser uma forma de cumprir esse desejo.

Eu amo pensar sobre o que os anjos devem estar pensando, até porque eles têm uma perspectiva única. Os anjos foram os primeiros da criação de Deus. Sabemos que viram toda a história se desdobrar porque Deus disse a Jó que os anjos se alegravam de vê-Lo fazer o mundo (Jó 38.4-7).

Os anjos passaram todas as suas vidas na presença de um Deus santo e perfeito. Eles O viram criar um mundo perfeito, onde não havia pecado, morte ou sofrimento. Esses conceitos eram desconhecidos para eles. Então um dos seus, Satanás, rebelou-se contra Deus. Deus o colocou fora de Sua presença para sempre, juntamente com os anjos que o seguiram (Judas 6). Não há oportunidades para o arrependimento [para eles] e ninguém para interceder em seus nomes. Os anjos sabem que o pecado tem um custo muito alto.

Então, como uma repetição, o primeiro casal que Deus criou também pecou. No entanto, há uma torção neste enredo. Deus mata um animal em seu lugar e lhes promete um Redentor. Ele, então, separa um grupo desses humanos pecaminosos para mostrar Seu amor e carinho. Isso culmina com o próprio Deus entrando no mundo em carne humana. O Salvador vive uma vida perfeita e depois a estabelece como um sacrifício sem mácula. O Pai o abate, o Cordeiro de Deus, para que os filhos do diabo, que merecem o mal, possam ser totalmente perdoados e adotados em Sua família. Que história! Não é de admirar que os anjos anseiem olhar para isso.

Agora, coloque-se no lugar deles enquanto eles observam as pessoas reunidas de Deus adoração.

Eles veem inimigos de Deus, agora, adorando-O porquê foram perdoados e redimidos. Eles veem judeus e gentios adorando juntos como membros de um corpo em unidade. Eles veem machos e fêmeas adorando juntos como iguais [em seu ser]. Além de tudo isso, através da cobertura da cabeça, nossas mulheres mostram a todos os presentes que sua posição como mulher também é redimida. Já não estão em guerra, usurpando e desejando a posição de autoridade do homem (Gênesis 3.16). Em vez disso, elas estão satisfeitas com o papel que Deus ordenou para elas em Gênesis 2.

Os homens, da mesma forma, por suas cabeças nuas, comunicam que exercerão autoridade em seus respectivos papéis. No entanto, já não será através da dominação (Gênesis 3.16) ou por passividade, como o primeiro Adão. Sua posição como homem também é redimida.

Ao observarem isto, os anjos devem clamar: “Eis a multiforme sabedoria de Deus!”.

Não vamos esquecer que, como seres sem pecado, eles seriam muito mais sensíveis ao pecado. Se somos desonrosos e vergonhosos em uma perspectiva humana (1 Coríntios 11.4-6), como devemos olhar para os anjos, se desobedecermos a este mandamento? Se não orarmos e profetizarmos como Deus disse, a única coisa que podemos estar simbolizando para eles é a distorção do papel de Gênesis 3!

Para o nosso benefício

As Escrituras também parecem sugerir que anjos podem estar relatando a Deus se estamos ou não obedecendo a Ele. Deixe-me explicar o que quero dizer. No dia do juízo temos que dar conta de tudo o que dissemos (Mateus 12.36) ou fizemos (1 Coríntios 3.13).

Então Deus deve estar mantendo um registro. Além disso, há versículos que falam dos modos de como as nossas orações são impedidas, como, por exemplo, negligenciar os pobres (Provérbios 21.13) ou ser um mau marido (1 Pedro 3.7). Esses são pecados que devem ser observados, registrados e relatados.

Bem, Deus é onisciente, então Ele conhece todas as coisas. No entanto, Ele pode optar por usar meios específicos para receber essa informação se Ele desejar. Por exemplo, Deus escolhe julgar os mortos “conforme o que se achava escrito nos livros.” (Apocalipse 20.12).

Ele não precisa de um livro, mas escolhe usar um para registrar as ações das pessoas. Do mesmo modo, Deus não precisa de ninguém nem de nada para deixá-Lo saber quem está sendo obediente aos Seus mandamentos, mas há uma implicação bíblica para que o Pai escolha ter essa informação apresentada a Ele por anjos. Aqui está o que Jesus disse:

“Vede, não desprezeis a qualquer destes pequeninos; porque eu vos afirmo que os seus anjos nos céus veem incessantemente a face de meu Pai celeste.” (Mateus 18.10).

Quando alguém comete um pecado contra um “pequenino”, Deus não apenas diz: “Eu sei sobre isso.” Ele diz que seu anjo vem até Ele. A implicação é que o anjo estaria relatando a Deus o que tinha acontecido.

Vamos dar uma olhada em outro versículo:

“Conjuro-te, perante Deus, e Cristo Jesus, e os anjos eleitos, que guardes estes conselhos, sem prevenção, nada fazendo com parcialidade.” (1 Timóteo 5.21)

Quando Paulo deixou as suas ordenanças com Timóteo, ele lembrou-lhe que o que foi ordenado, foi feito “na presença dos anjos eleitos.” É como se ele estava dizendo “os anjos são testemunhas do que eu te mandei e eles estarão assistindo.”.

Entender que estamos sendo observados e responsabilizados serve para nos humilhar em nossos esforços em obediência. Nossas vidas não são privadas, mas vividas diante de um público cósmico.

Enfim, mesmo que eu tenha falhado em minha explicação, a razão ainda é clara: devemos obedecer “por causa dos anjos”. As crianças podem imaginar por que seu pai pediu para fazer tal e tal coisa, mas o ponto principal não deve ser desperdiçado. Independentemente da razão, tanto a ordenança quanto a pessoa que deseja obediência são muito claros.

Obtendo o público certo

Quero terminar com um último ponto. Mais adiante (no capítulo 9) discutiremos a visão popular de que a prática da cobertura da cabeça era apenas para aquela cultura. Esse argumento baseia-se na premissa de que este símbolo é apenas para os seres humanos e que era importante para não ofender seus costumes locais. Mas aqui Paulo contradiz diretamente esse sentimento mostrando-nos que nós o fazemos para um grupo de seres completamente diferente.

Esta prática não é apenas uma testemunha para as pessoas, mas para os anjos, que não mudam e não têm práticas culturais. Esta, então, é uma razão forte de porque a cobertura feminina é atemporal e transcultural.

À medida que avançamos através da carta de Paulo, voltemos nossa atenção para o que ele diz sobre a natureza e como isso atesta, através do comprimento dos nossos cabelos, que a prática da cobertura da cabeça é correta.

References

1.
 Martyn Lloyd Jones, Great Doctrines of the Bible, (Carol Stream, Illinois: Crossway Books, 2003), 110.
2.
 Em português há artigos definitivos e indefinidos. Em grego, tal distinção não existe; por isso é realmente apenas um “artigo”.
3.
 David E. Garland, First Corinthians  (Baker Academic, 2003), 527.
4.
 Archibald T. Robertson and Alfred Plummer, A Critical and Exegetical Commentary on the First Epistle of St. Paul to the Corinthians (T&T Clark, 1911), 233. (Quando eles mencionam “ἄγγελος sempre significa anjos bons”, isto deve ser entendido como quando a palavra é usada com o artigo grego nas cartas de Paulo.)

Leave a comment

name*

email* (not published)

website

Send this to a friend