fbpx

Navigate / search

Capítulo 2: Tradição Apostólica: Sustentando o que nos foi entregue

“Quando os apóstolos falam sobre tradição… eles não estão falando sobre tradições humanas, eles estão falando sobre aquilo que foi entregue pelos apóstolos à Igreja. Estas não eram tradições que deveriam ser negociadas, pois eram tradições de Deus.” 1) R.C. Sproul, “To Cover or Not To Cover” (das séries “The Hard Sayings of the Apostles”), http://bit.ly/sproulcover.

Dr. R.C. Sproul Sr., fundador do Lingonier Ministries

 

Quando ouvimos a palavra “tradição”, nós geralmente pensamos que se refere a invenções humanas que não são encontradas na Escritura. As tradições podem ser benéficas (ou pelo menos não prejudiciais), mas porque Deus não as ordena, muito menos nós devemos ordená-las. Quando se trata do entendimento da cobertura feminina, nós precisamos questionar: é uma tradição ou uma ordenança? Vamos examinar nosso primeiro verso:

De fato, eu vos louvo porque, em tudo, vos lembrais de mim e retendes as tradições assim como vo-las entreguei. 1 Coríntios 11:2

Apesar das “tradições” não serem explicitamente definidas, nós podemos seguramente concluir que a cobertura feminina é uma delas. Por que nós acreditaríamos nisto? O ensino sobre a cobertura da cabeça (1 Coríntios 11:3-16) está entre duas declarações contrastantes. No verso 2, Paulo diz “eu vos louvo”, e logo depois introduz o assunto sobre a cobertura da cabeça. Já no verso 17, ele diz “não vos louvo”, e em seguida adentra no ensino sobre a Ceia do Senhor e dons espirituais (os quais estavam sendo usados inapropriadamente). A estrutura da sentença de 1 Coríntios 11 usa os versos 2 e 17 como títulos dos textos.

“Eu vos louvo” (1 Co 11:2) “Eu não vos louvo” (1 Co 11:17)
Cobertura da cabeça (1 Co 11:2-16) A Ceia do Senhor (1 Co 11:17-34)

Dons Espirituais (1 Co 12:1- 14:40)

O que vem imediatamente depois de cada um desses versos é o ensino sobre as práticas de cada tópico; o primeiro para instruir (quando ele os louva) e o último para corrigir (quando ele não os louva). Se a cobertura da cabeça não estivesse sendo praticada pelos coríntios, eles teriam sido abordados pelo tópico “eu não vos louvo”. Portanto, o caso não era de que os coríntios não estavam praticando a cobertura da cabeça. Nós sabemos que eles estavam pois Paulo disse “permanecei firmes” a isso. O que faltava aos coríntios era o “entendimento”, o que significa que eles precisavam de mais ensino sobre esse assunto.

Agora antes que você dispense a cobertura feminina como uma invenção humana, vamos deixar que a Bíblia nos conceda nossa definição de tradição. A palavra grega usada é “paradosis”, que é usada no Nova Testamento trinta vezes. Ela é usada oito vezes por Jesus e toda vez que ele usava, se referia claramente a “tradições humanas”. Paulo também usa o termo desta forma, mas não exclusivamente com esse significado. Às vezes ele usa em referência ao ensino apostólico autoritativo. Vamos verificar duas situações nas quais ele faz isso:

Assim, pois, irmãos, permanecei firmes e guardai as tradições que vos foram ensinadas, seja por palavra, seja por epístola nossa. 2 Tessalonissenses 2:15

Nós vos ordenamos, irmãos, em nome do Senhor Jesus Cristo, que vos aparteis de todo irmão que ande desordenadamente e não segundo a tradição que de nós recebestes 2 Tessalonissenses 3:6

Você percebeu o padrão? Quando Paulo usa “paradosis” para se referir ao ensino apostólico, ele diz “isto vem de nós”. Então como nós sabemos se a cobertura da cabeça é uma tradição humana ou uma tradição dos apóstolos? Paulo não nos deixa especular. Em 1 Coríntios 11:2 ele diz “Eu vo-las [as tradições] entreguei”. Isto significa que a prática da cobertura da cabeça é um ensino apostólico autoritativo.

Para ajudar a visualizar isso, imagine-se abrindo uma correspondência. Você recebe dezenas de cartas diferentes, cada uma entregue a você. Uma em particular chama a sua atenção porque vem da Receita Federal. Você dá uma atenção especial a esta carta pela importâcia do remetente. Você entende que o que eles dizem na carta tem autoridade, pois lhes foi dada pelo governo. Enquanto você lê, você percebe que eles estão te dando instruções para seguir. Isto não pode ser ignorado.

Da mesma forma, essa carta aos Coríntios é importante porque foi enviada por um apóstolo com instruções para a igreja se apoiar. Este apóstolo está revestido de autoridade por Jesus para estabelecer o fundamento da igreja (Efésios 2:20). Mais do que isso, quando ele fala pela Escritura, Deus está falando (2 Timóteo 3:16).

Imagine-se abrindo a carta de Paulo pela primeira vez. Você reconhece sua importância e começa a lê-la. Ele te diz nesta carta que a razão para tê-la escrito a você é para que você tivesse o “entendimento” sobre a doutrina da cobertura da cabeça. Ele quer que você conheça o que símbolo significa, o porquê as igrejas o praticam e o que o ignorar dessas instruções comunica sobre nós. Você também vê que ele nos louva se nós “permanecemos firmes” a ensinos como este. Vamos continuar examinando a carta do apóstolo juntos para que saibamos tudo que ele quer que entendamos. Nesse próximo capítulo nós vamos observar o fundamento desse símbolo, que pertence à ordem da criação.

References

1.
 R.C. Sproul, “To Cover or Not To Cover” (das séries “The Hard Sayings of the Apostles”), http://bit.ly/sproulcover.

Leave a comment

name*

email* (not published)

website

Send this to a friend